Observação: É proibida a reprodução total ou parcial deste Blog, sem a devida autorização da Equipe.

Compartilhando idéias, falando sobre odontologia e trocando informações

Este blog nasceu da necessidade de conectar a inspiração de suas criadoras com a mídia e as redes sociais.
Estamos em ascenção, nos organizando para trazer ao leitor textos impactantes, modelados na medida das necessidades de nossos leitores e de nossas próprias.
Não temos a pretensão de sermos um blog que vem ensinar mas, estamos em movimento de pesquisa constante, para aprender e divulgar o que for relevante às idéias que inspiraram sua criação.
Esteja conosco. Será um prazer desfrutarmos deste tempo juntamente com você.

Equipe Odontologando

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Herpes Labial, o que é?

É uma infecção nos lábios, causada pelo vírus do herpes simples, que não tem cura e não tem vacina, ainda.

A primeira infecção ocorre na infância, por exemplo, depois do bebê ser beijado por uma pessoa infectada.

O vírus passa através da pele, percorre um  nervo e esconde-se numa junção nervosa até ser reativado.

Situações como: queda de imunidade, indisposição gástrica, menstruação, fadiga, transtorno emocional, stress, ferimento, luz solar intensa, podem reativar o vírus e fazer com que ele se manifeste novamente.

O Herpes Labial passa por 4 estágios de desenvolvimento:

1 - Estágio do Prurido:a pele arde, coça e a pessoa sente que o herpes irá aparecer.

2- Estágio da Bolha: começam com pequenas erupções em formato de vesículas e frequentemente são dolorosas.

3- Estágio da Secreção: as vesículas se desfazem para formar feridas com secreção.Neste estágio, aonde os pacientes reclamam muito da aparência, o vírus pode ser facilmente transferido para outras pessoas .

4- Estágio da Crosta: as lesões começam a secar e sarar, formando crostas. Neste estágio, as crostas podem se romper e sangrar, causando dor.

O tratamento é feito com aciclovir. O surto dura de 7 a 14 dias

Atenção: o Herpes Labial é infeccioso. Evite beijar ( especialmente crianças), tocar os olhos, furar as vesículas, traumatizar as crostas.
Não compartilhe toalhas de banho e de rosto, nem  pratos e talheres.
Lave as mãos com frequência, principalmente se tocar nas lesões.



Fontes:

http://www.ipsm.mg.gov.br/arquivos/herpes_labial.pdf - Dra. Paula Cristina dos Reis Aguiar
http://www.criasaude.com.br/N2043/doencas/herpes-labial.html
Sociedade Brasileira de Dermatologia

Ladis Pedrosa

Postagens populares

Pesquisar este blog