Observação: É proibida a reprodução total ou parcial deste Blog, sem a devida autorização da Equipe.

Compartilhando idéias, falando sobre odontologia e trocando informações

Este blog nasceu da necessidade de conectar a inspiração de suas criadoras com a mídia e as redes sociais.
Estamos em ascenção, nos organizando para trazer ao leitor textos impactantes, modelados na medida das necessidades de nossos leitores e de nossas próprias.
Não temos a pretensão de sermos um blog que vem ensinar mas, estamos em movimento de pesquisa constante, para aprender e divulgar o que for relevante às idéias que inspiraram sua criação.
Esteja conosco. Será um prazer desfrutarmos deste tempo juntamente com você.

Equipe Odontologando

sábado, 14 de julho de 2012

Saúde Bucal dos Cães

   
A boa saúde bucal dos cães reflete-se na saúde geral e portanto, resultam em mais anos de vida.
Os cães podem ter cáries, mas, principalmente são acometidos de doenças periodontais e mau hálito, pela presença de placa bacteriana e tártaro que podem causar dor, inchaço, vermelhidão e inclusive a perda do dente (doença periodontal).
Além da perda do dente as bactérias podem entrar na corrente sanguínea do animal e causar danos irreparáveis aos órgãos vitais como coração, fígado e rins, comprometendo sua saúde.
O tártaro , nada mais é do que a placa bacteriana mineralizada pelos sais presentes na saliva. A sua presença, torna a superfície do dentes irregular, facilitando o acúmulo de mais placa e agravando então a doença.
Infelizmente, a doença periodontal não tem cura e acomete 80% dos cães. Porém, ela pode ser controlada através do acompanhamento de um veterinário que realiza a remoção do tártaro se necessário e orienta  sobre higiene bucal e demais medidas preventivas.
Além do tratamento periodontal, os cães podem necessitar de tratamento endodôntico(tratamento de canal), ortodontia (correção de má oclusão), osteosínteses (correção de fraturas de maxila e mandíbula), ressecção de massas tumorais, restauração dos dentes (cáries), próteses (fraturas e perdas de dentes), implantes ( perdas e/ou ausência de dentes e outros.
Os problemas na saúde bucal dos cães devem ser diagnosticados e tratados precocemente.

Fonte: http://www.webanimal.com.br/cao/index.asp?especie=cao

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Respirador Bucal - Uma crise silenciosa


A respiração bucal é uma queixa frequente na otorrinolaringologia. As crianças são as mais acometidas, 30% das crianças brasileiras respiram pela boca e apresentam a chamada síndrome da respiração bucal. Pacientes que respiram por mais de 4 meses pela boca podem ser considerados respiradores orais e estão sujeitos repercussões sérias na qualidade de vida.
A obstrução nasal com consequente respiração bucal pode ter várias etiologias (causas) diferentes, sendo as mais comuns: aumento de amígdalas e adenóides (conhecida como carne esponjosa), rinite, sinusite, hipertrofia das conchas nasais e desvio de septo.
O diagnóstico nem sempre é fácil, às vezes temos que estar atentos aos sintomas indiretos como:  dor de garganta, ardência ou prurido na faringe, boca seca, secreção espessa aderida à garganta, tosse seca persistente, dor de cabeça, halitose, olheiras, aumento de cáries dentárias
, 
irritabilidade, ronco, apnéia do sono, sonolência diurna, enurese e agitação noturnas, mau aproveitamento escolar
 ou no trabalho bruxismo, déficit no crescimento e desenvolvimento.
As deformidades dentocraniofaciais (ALTERAÇÕES NOS DENTES, CRANIO E FACE) são sequelas bem características. Há hipotonia (flacidez) de lábios e língua, o lábio superior fica curto e incompetente. A língua mal posicionada dentro da boca pode causar má oclusão dentária (mordida aberta, incisivos superiores protruídos, mordida cruzada). Essas deformidades alteram a deglutição, a mastigação, a fala e a postura.
As crianças não têm uma alimentação adequada, já que é impossível triturar a comida e respirar ao mesmo tempo, elas comem rápido, mastigam pouco, utilizam líquido para auxiliar na hora de engolir e preferem alimentos pastosos.
Quanto mais cedo se instalar a respiração bucal, maiores serão as alterações. O tratamento da causa deve ser feito o mais precocemente possível, pode ser necessário um tratamento multidisciplinar com otorrino, ortodontista e fonoaudiólogo para  reeducação muscular.
Como identificar?
Fique atenta se a criança...
_ ronca e baba muito durante o sono;
_ tem olheiras e aspecto cansado;
_ ingere o alimento com muito     líquido;
_ fica de boca aberta por muito tempo, principalmente ao dormir;
_ possui respiração barulhenta:
_ apresenta a boca ressecada e a gengiva vermelha e inchada;
_  está com cabeça, ombros e braços projetados para frente


Texto fornecido por:
Dra Renata Lopes Mori  - Otorrinolaringologista

quarta-feira, 11 de julho de 2012

A gengiva de meu filho está inchada, o que pode ser?


Algumas vezes o dentista escuta perguntas assim:

* Dentes de leite doem?

*Dentes de leite tem canal?

*Dentes de leite tem raíz?

*A gengiva de meu filho está inchada, o que devo fazer?

Estas e outras perguntas podem ser facilmente respondidas em consultas com odontopediatras, onde os pais descobrem que dentes de leite podem doer, tem raíz e também podem necessitar de tratamento endodôntico (tratamento de canal).


Alguns "inchaços" podem ser provenientes de infecção, advindas de um dente de leite que não tratado,  teve uma necrose pulpar (morte do nervo), podendo causar uma fístula ("pequena bolha ou inchaço por onde pode sair um líquido amarelado"). Portanto, ao detectar qualquer alteração, procure levar a criança com urgência à um odontopediatra, que saberá indicar o tratamento mais adequado.

Observe com frequência a boca de seu filho!


segunda-feira, 9 de julho de 2012

Quem inventou a escova de dentes?


Foi só em 1938, nos Estados Unidos, que começaram a fabricar as primeiras escovas de dentes com cerdas de náilon.

A escova dental mais antiga de que se tem notícia foi encontrada numa tumba egípcia de 3 mil anos antes de Cristo. Era um pequeno ramo com ponta desfiada até chegar às fibras, que eram esfregadas contra os dentes.


Foi na China, século XV, que surgiu primeira escova de cerdas. Era de pêlo de porco, com as cerdas amarradas em pequenas varinhas de bambu ou pedaços de ossos.



Foi muito tempo depois, que perceberam que estas escovas feitas de pêlos de animais favoreciam a umidade, que causavam mofo, prejudicial à saúde bucal. Além disso, suas extremidades eram pontiagudas e suas cerdas feriam as gengivas.







Postagens populares

Pesquisar este blog