Observação: É proibida a reprodução total ou parcial deste Blog, sem a devida autorização da Equipe.

Compartilhando idéias, falando sobre odontologia e trocando informações

Este blog nasceu da necessidade de conectar a inspiração de suas criadoras com a mídia e as redes sociais.
Estamos em ascenção, nos organizando para trazer ao leitor textos impactantes, modelados na medida das necessidades de nossos leitores e de nossas próprias.
Não temos a pretensão de sermos um blog que vem ensinar mas, estamos em movimento de pesquisa constante, para aprender e divulgar o que for relevante às idéias que inspiraram sua criação.
Esteja conosco. Será um prazer desfrutarmos deste tempo juntamente com você.

Equipe Odontologando

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

O que são doenças sexualmente transmissíveis?

Doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), são aquelas que são transmitidas na relações sexuais com pessoas que estejam com essas doenças.

São DSTs:


  • Gonorréia
  • Sífilis
  • Clamídia
  • Herpes Genital
  • Hepatite B
  • Condiloma
  • Trocomoníase
  • HIV/AIDS
  • outras

Como saber se você está com DST?

As DSTs podem se manifestar por meio de corrimentos, irritação, feridas, caroços ou verrugas nos órgãos genitais. Podem causar coceiras, dor na relação sexual, dor embaixo do umbigo. Mas, as vezes, não aparecem sintomas ou sinais externos, ou seja, visíveis por fora, e isso é comum ocorrer com as mulheres. Entretanto, nesta mesma situação, a doença pode ser passada para o parceiro(a) sexual.

Quais os problemas que as DSTs podem causar?

As DSTs podem trazer consequências graves, quando não são tratadas, podendo predispor a pessoa ao câncer de colo de útero ou de pênis. Além disso, as DSTs como a sífilis, hepatite B e o HIV, podem ser transmitidas para o bebê durante a gravidez, trazendo graves problemas para a criança, ou mesmo podendo provocar aborto.

Como deve ser o tratamento?

Se você suspeitar que está com DST, a primeira coisa a fazer é evitar relações sexuais e procurar imediatamente um serviço de saúde. Não faça tratamento por conta própria, ouvindo orientações de amigos,  parentes, balconistas de farmácia. Procure um serviço de saúde, assim seu tratamento será eficaz.

Até o momento, não existe cura nem vacina para a AIDS, por isso o melhor mesmo é se prevenir sempre, usando camisinha masculina ou feminina em todas as relações sexuais.

Lembre-se de que não dá para saber quem está contaminado com o HIV/AIDS ou com outras DSTs só olhando para a pessoa, ou porque conhece a pessoa há muito tempo. Por isso, é importante se prevenir sempre, usando camisinha masculina ou feminina em todas as relações sexuais.

Adolescentes, jovens e qualquer pessoa tem direito a ter um atendimento sem discriminação de qualquer tipo, com garantia de privacidade e segredo.


Fonte: Ministério da Saúde

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Fluorose, o que é?

Fluorose é uma alteração do esmalte dentário que está ligada à ingestão excessiva de flúor durante a formação dos dentes, podendo apresentar colorações e estágios diversos.

A fluorose, acomete principalmente a dentição permanente e é rara na dentição decídua (dentes de leite).

A causa mais comum está relacionada ao fato da criança pequena engolir a pasta dental contendo flúor, principalmente em regiões aonde a água de abastecimento público é fluoretada.
Engolir pasta com frequência, durante a época de formação dos dentes permanentes, pode acarretar em fluorose que se apresenta como manchas ou linhas de tonalidades esbranquiçadas em estágio leve, podendo nos casos mais graves apresentar uma coloração acastanhada ou marrom e até mesmo, haver perda de estrutura dental, tornando o dente mais enfraquecido.
 

Tratamento

  • Em estágio inicial,  onde a estética não está muito comprometida não é necessário tratamento, apenas acompanhamento profissional.
  • Em casos mais avançados, onde a estética está comprometida há vários tratamentos disponíveis.

Prevenção

  • Não usar pastas com flúor em crianças que não conseguem deixar de engolir.
  • Não deixar pastas dentais ao alcance das crianças e usar quantidade mínima do produto ( porção do tamanho de um grão de arroz).
  • Água, inclusive minerais e alguns alimentos industrializados também contém flúor. Ficar atento aos rótulos.
  • Supervisionar a escovação de seu filho.
  • Fazer consultas periódicas com o odontopediatra.





Ladis Pedrosa


segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Atrás do último dente do meu filho está inchado, é normal?

Uma pergunta frequente nos consultórios é sobre a erupção (nascimento) do primeiro molar permanente.

Muitas vezes, este dente é confundido com um dente decíduo (dente de leite), por não cair nenhum dente neste local.

A família deve ficar bem atenta: por volta dos 6 anos de idade, os quatro primeiros molares permanentes (dois inferiores e dois superiores), nascem atrás dos segundos molares decíduos (últimos dentes de leite da arcada dentária da criança). Estes dentes são de extrema importância para o desenvolvimento da oclusão (mordida) da criança.

Nesta fase, algumas crianças podem relatar algum tipo de desconforto na região, que é perfeitamente normal. Outras, podem não ter sintoma algum.

Desta forma, as consultas periódicas (normalmente a cada 6 meses), devem fazer parte do acompanhamento da saúde da criança, garantindo assim que os dentes nasçam de forma saudável.

As fotos abaixo, ilustram a erupção em estágio inicial do primeiro molar permanente inferior esquerdo.





Veja também neste blog: http://odonto-logando.blogspot.com.br/2012/06/nao-confundir-primeiro-molar-permanente.html


Ladis Pedrosa

Postagens populares

Pesquisar este blog