Observação: É proibida a reprodução total ou parcial deste Blog, sem a devida autorização da Equipe.

Compartilhando idéias, falando sobre odontologia e trocando informações

Este blog nasceu da necessidade de conectar a inspiração de suas criadoras com a mídia e as redes sociais.
Estamos em ascenção, nos organizando para trazer ao leitor textos impactantes, modelados na medida das necessidades de nossos leitores e de nossas próprias.
Não temos a pretensão de sermos um blog que vem ensinar mas, estamos em movimento de pesquisa constante, para aprender e divulgar o que for relevante às idéias que inspiraram sua criação.
Esteja conosco. Será um prazer desfrutarmos deste tempo juntamente com você.

Equipe Odontologando

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

A raiz do dente está curta, o que pode ter acontecido? - Reabsorção radicular.

   
A reabsorção radicular é uma lesão de forma interna ou externa que promove o encurtamento da raiz dentária, e pode decorrer de variáveis anatômicas, fisiológicas e genéticas. É considerada fisiológica, (normal) no momento que os dentes decíduos dão lugar aos permanentes e patológica, (doença), ao resultar de injuria traumática ou irritação do ligamento periodontal e/ou do tecido pulpar de dentes permanentes.

Os dentes mais  susceptíveis à reabsorção radicular são os incisivos centrais superiores, seguidos dos incisivos inferiores e os primeiros molares inferiores. Talvez porque a movimentação ortodôntica nestes dentes tende a  ser  maior que no restante da dentição. Assim é importante a adequação da força e do tempo de tratamento para minimizar o surgimento da reabsorção radicular.
Deve ser feito aompanhamento radiográfico periódico tanto para detecção como para o controle de lesões radiculares. 

A reabsorção radicular ocorre em 90,5% dos dentes permanentes tratados ortodonticamente, com lesões rasas e largas (reabsorção de superfície) que são sempre reparadas. A reabsorção dentária grave e estruturalmente importante ocorre em 10% das pessoas submetidas ao tratamento ortodôntico promove danos limitados e as reabsorções apicais dessa magnitude fazem parte do custo biológico do tratamento ortodôntico (são efeitos colaterais ou iatrogenias quase que inevitáveis na prática ortodôntica), sendo consideradas clinicamente aceitáveis. Alguns casos, ainda que a grande minoria, pode levar até a perda do elemento dentário.


Pelo fato da reabsorção radicular ser imprevisível e depender de múltiplos fatores, é de primordial importância executar um diagnóstico cuidadoso e criterioso plano de tratamento.

Fonte: REABSORÇÃO RADICULAR: REVISÃO DE LITERATURA. Por Edgar Arturo Dipas Torres; Ludimilla Ronqui e Liliane Silvia Valente Villar.
www.facimed.com.br

Radiografias de paciente adulto que procurou o consultório após ter feito tratamento ortodôntico durante 7 anos. Não foram tiradas radiografias durante o curso do tratamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário. Será um prazer poder recebê-lo.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Postagens populares

Pesquisar este blog

Carregando...