Observação: É proibida a reprodução total ou parcial deste Blog, sem a devida autorização da Equipe.

Compartilhando idéias, falando sobre odontologia e trocando informações

Este blog nasceu da necessidade de conectar a inspiração de suas criadoras com a mídia e as redes sociais.
Estamos em ascenção, nos organizando para trazer ao leitor textos impactantes, modelados na medida das necessidades de nossos leitores e de nossas próprias.
Não temos a pretensão de sermos um blog que vem ensinar mas, estamos em movimento de pesquisa constante, para aprender e divulgar o que for relevante às idéias que inspiraram sua criação.
Esteja conosco. Será um prazer desfrutarmos deste tempo juntamente com você.

Equipe Odontologando

sexta-feira, 1 de março de 2013

Uma história....





"Conta-se", diz Bhagwan numa anedota, "que um dia Aristóteles caminhava pela
praia, e viu um homem que trazia água do mar numa colher de chá e a jogava num
buraquinho que havia cavado perto do mar. Aristóteles estava às voltas com seus próprios
problemas. Não deu importância a isso — uma, duas vezes, Aristóteles se aproximou e viu
o homem, mas este estava tão absorvido. Ia até o mar, enchia a colher, trazia a água,
punha no buraco, voltava de novo...
Por fim, Aristóteles disse: "Espere! Não quero perturbá-lo, mas o que está
fazendo? Está me deixando muito curioso."
O homem respondeu: "Vou colocar o oceano inteiro neste buraco."
Aristóteles, até mesmo ele, riu. Disse: "Você é louco! Isso não vai acontecer. Você
está simplesmente doido e está perdendo seu tempo! Veja a vastidão do oceano e a
pequenez do buraco — e com uma colher de chá você pretende colocar o oceano neste
buraco? Você é louco! Vá para casa e descanse."
O homem riu mais alto que Aristóteles, e disse: "Sim, eu irei, porque meu trabalho
está feito."
Aristóteles disse: "O que você quer dizer?"
"Que você está fazendo a mesma coisa" — disse o outro — só que de um modo
mais tolo. Olhe para a sua cabeça: é menor do que o meu buraco. E olhe para o Divino,
para a Existência: é mais vasta do que o oceano. E veja seus pensamentos — serão
maiores do que a minha colher?"
Bhagwan suspeita que o homem dessa estória era Heráclito, e diz que se Heráclito
tivesse sido aceito, a história do Ocidente teria sido totalmente diferente — "mas ele não
foi absolutamente entendido. Tornou-se cada vez mais .separado da corrente principal do
pensamento e da mente Ocidentais. O solo grego não foi nada bom para ele. Teria sido
uma grande árvore no Oriente: milhares teriam aproveitado, teriam encontrado o
caminho através dele. Mas para os gregos ele era um estrangeiro, um excêntrico, um
alienígena. Não pertencia a eles. É por isso que seu nome ficou de lado, pelos cantos
escuros. Aos poucos foi sendo esquecido."
E agora parece ser o tempo apropriado para lembrá-lo nova-mente. No Ocidente
nós nos movemos demais para o extremo do positivo, da bondade, da retidão, Deus, e
tentamos evitar tudo que fosse considerado mau, negativo, demoníaco, do Diabo. Mas,
mais cedo ou mais tarde, isso teria que irromper; não poderia simples-mente ser banido
da existência. É a reação igual e oposta que agora se manifesta, especialmente no
Ocidente — a veneração do Demônio; a extrema violência, na maioria das vezes gratuita;
perversões de todos os tipos; e outras tendências destrutivas — eram, de certa maneira,
de se esperar. É claro que tudo isso é muito desconcertante. E o problema básico com o
qual todos os pensadores, poetas e até mesmo os cientistas eventualmente se deparam é
precisamente a reconciliação da aparente dualidade que existe em todos os níveis: Deus,
Demônio; mente, matéria; instinto, razão; corpo, alma; criação, destruição. Nós chegamos
ao ponto crítico onde todos os nossos valores estão sendo postos em questão. Na
verdade, diz Bhagwan, um tempo como esse, onde há a possibilidade de muitos se
tornarem Iluminados, só acontece a cada vinte e cinco séculos — "Quando as coisas são
líquidas, a transformação é fácil."
Osho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário. Será um prazer poder recebê-lo.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Postagens populares

Pesquisar este blog