Observação: É proibida a reprodução total ou parcial deste Blog, sem a devida autorização da Equipe.

Compartilhando idéias, falando sobre odontologia e trocando informações

Este blog nasceu da necessidade de conectar a inspiração de suas criadoras com a mídia e as redes sociais.
Estamos em ascenção, nos organizando para trazer ao leitor textos impactantes, modelados na medida das necessidades de nossos leitores e de nossas próprias.
Não temos a pretensão de sermos um blog que vem ensinar mas, estamos em movimento de pesquisa constante, para aprender e divulgar o que for relevante às idéias que inspiraram sua criação.
Esteja conosco. Será um prazer desfrutarmos deste tempo juntamente com você.

Equipe Odontologando

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

O que são as doenças transmitidas por água e alimentos?






As doenças transmitidas por água e alimentos (DTAs) são causadas pela ingestão de alimentos , bebidas e água contaminados por micro-organismos (bactérias, vírus, parasitas), toxinas e produtos químicos (agrotóxicos, metais pesados). Em alguns casos, a transmissão pode ocorrer também pelo contato com as fezes de um doente.

Quais são os sintomas?

Os sintomas mais comuns são diarreia, náuseas, vômitos, cólicas abdominais e febre. Em alguns casos, pode ocorrer desidratação em crianças e idosos. Alguns micro-organismos podem causar sintomas mais graves, como distúrbios neurológicos , renais, hepáticos, alérgicos, septicemia (infecção generalizada) e até óbito.


Qual é o tratamentos para as DTAs?

O tratamento básico é feito a partir da ingestão de sais de reidratação oral e muito líquido (água potável/tratadas, sucos).
Para os casos mais graves, que exijam internação, podem ser necessários outros procedimentos médicos, dependendo dos sintomas e órgãos afetados.
Em casos de sintomas, procure o Serviço de Saúde mais próximo.


Quais as causas mais frequentes da contaminação dos alimentos?

Um das principais problemas é o preparo inadequado dos alimentos, seja pela falta de higienização da matéria prima, das mãos, dos utensílios e das superfícies ou pelo cozimento inadequado dos alimentos. Pessoas que preparam alimentos com lesões na pele ou com feridas nas mãos podem transmitir micro-organismos patogênicos para os alimentos e causar doenças nos consumidores.
Outro problema é o hábito de deixar os alimentos preparados ou sobras muito tempo fora da geladeira, isto é, em temperatura ambiente.
Durante o verão, as altas temperaturas aceleram a deterioração de alimentos e favorecem a multiplicação de micro-organismos.
Durante enchentes e inundações, os micro-organismos presentes nos esgotos podem se misturar à água e à lama das enxurradas, além de contaminar os alimentos, utensílios e louças.

Como as pessoas podem se prevenir?


  • Lavar sempre as mãos com água e sabão antes de preparar ou comer alimentos e toda vez que utilizar o banheiro ou chegar da rua;
  • Pessoas que cuidam de crianças devem lavar bem as mãos a cada troca de fraldas do bebê;
  • Beber sempre água potável. Não usar água de fonte não confiável;
  • Higienizar os alimentos crus (frutas e verduras) antes de seu consumo, conforme os passos a seguir:  
  • Lavar com água potável toda a superfície, retirando resíduos aderidos;
  • Deixar de molho em solução de água sanitária (verificar o rótulo para saber se tem finalidade de desinfecção de alimentos) ou hipoclorito de sódio a 2,5%, colocando 1 colher de sopa do produto em 1 litro de água potável, e deixar agir por 15 a 20 minutos.
  • Enxaguar bem em água tratada e corrente;
  • Não utilizar produtos de origem clandestina;
  • Os alimentos cozidos devem ser preparados imediatamente antes do consumo e mantidos quentes. As sobras devem ser armazenadas em geladeiras e reaquecidas antes do próximo consumo;
  • Ao preparar alimentos, não misture alimentos já cozidos ou desinfetados com aqueles ainda em preparação. Evite contaminação cruzada;
  • Cozinhar, assar ou fritar muito bem as carnes bovinas, suínas, aves, peixes, ovos ou outros produtos de origem animal;
  • Evitar o consumo de alimentos que forma produzidos em condições de higiene insatisfatórias ou de origem duvidosa;
  • Lavar os utensílios e a superfície da pia com água e sabão a cada preparo dos alimentos.
* Em caso de enchente:
  • Não consumir alimentos que tiveram contato com a água da enchente;
  • Lavar panos para secar utensílios e superfícies que foram atingidos por enchentes antes de usar;
  • Guardar os alimentos em recipientes bem fechados;
  • Limpara a caixa d´água se ela for invadida por água de enchente;
*Na praia/verão:

  • Evitar consumir alimentos muito perecíveis: sanduíches, embutidos, carnes, salgadinhos, queijos, bolos e doces recheados, comercializados por ambulantes;
  • Manter lanches caseiros em recipientes bem tampados e abrigados do sol. Quando o alimento necessitar de refrigeração, mantê-lo em caixas isotérmicas abastecidas com gelo;
  • Preferir alimentos como frutas, leites, sucos acondicionados em embalagens tipo tetra pak (caixinhas), barras de cereais, etc.
*Não seja uma fonte de transmissão para outras pessoas:

     Se estiver doente:

  • Evitar preparar alimentos que serão consumidos por outras pessoas para não haver contaminação;
  • Lave bem as mãos após usar o banheiro;
  • Informe o Serviço de Saúde ou ligue para o SAC 156 se você ficou doente após o consumo de alimentos fora de casa, em restaurantes, festas, eventos ou em casos de diarreia em escolas, creches, locais de trabalho ou residências. Assim a Vigilância Sanitária Municipal poderá orientar os estabelecimentos sobre as boas práticas de manipulação dos alimentos, higiene pessoal e ambiental para prevenir novos casos.


Fonte: Prefeitura de São Paulo - Saúde
            COVISA
            SUS




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário. Será um prazer poder recebê-lo.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Postagens populares

Pesquisar este blog